top of page

Nota de pesar pelo falecimento de Fernanda Young

Fernanda foi uma devota das artes. Pintava, bordava, fazia poesia, literatura da melhor qualidade e, com seu amado Alexandre Machado, escreveu as séries mais bacanas da história da televisão brasileira. Era talentosa, trabalhadora, constante, e uma grande tiradora de sarro, como só os inteligentes sabem ser.

Nessa era de força feminina, Fernanda foi um ícone: pensava, discursava e agia em unicidade. Corajosa e honesta, era amante fervorosa da língua portuguesa e milionária de ideias, como se definia. Hoje perdemos todos.

Há uns três meses, eu estava bem triste e desanimada, e Fernanda me mandou uma foto sua, em frente ao espelho do seu quarto. Bordada por ela na cabeceira cama, a frase “continue escrevendo”. Continuaremos, querida. Escrevendo, lutando e resistindo, mas pode ter certeza de que tudo terá bem menos graça.

Juliana Rosenthal

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mulheres e gênero no 8M

O COMITÊ DE MULHERES & GÊNERO da ABRA em parceria com a Colabcine promove durante três semanas debates sobre a questão de gênero, narrativas femininas e inteligência artificial na criação audiovisual.

Associadas têm desconto no Rio2C 2023

Pelo segundo ano consecutivo temos 20% de desconto nas entradas Industry ou Creator. Para ter acesso ao seu desconto basta enviar um e-mail para secretaria@abra.art.br e pedir o seu código promocional

Comments


bottom of page